Marriott compra Starwood e, juntas, as redes formam o maior grupo hoteleiro do mundo

A Marriott anunciou hoje (16) a compra da Starwood por US$ 12,2 bilhões. A operação já foi aprovada pelos conselhos de administração dos dois grupos. As duas empresas juntas formam a maior das redes hoteleiras: são cerca de 5500 hotéis e mais de um milhão de quartos pelo mundo. Em comunicado, as empresas afirmam que as vendas conjuntas dos últimos 12 meses atingem os US$ 2,7 mil milhões.

Concorremos com a Starwood durante décadas e também a temos admirado. Estou emocionado por incluir grandes hotéis a nossa carteira e pelas incríveis oportunidades que a Starwood e a Marriott têm juntas. Estou encantado em dar às boas vindas a Starwood e toda a família Marriott”, declarou o diretor executivo J.W Marriott Jr.

Os termos do acordo indicam que os acionistas da Starwood receberão dois dólares por cada ação e 0,92 ações da Marriott em ações ordinárias. Desta forma, possuirão 37% dos títulos da nova companhia resultante da operação.

Assim, dos US$12,2 bilhões que a Marriott desembolsará, US$11,9 bilhões serão em ações com base no preço ponderado por ação e US$ 340 milhões em dinheiro.

Por sua vez, Adam Aron, CEO da Starwood Hotels & Resorts, disse que “estamos muito animados por ter um papel vital na criação da maior e melhor empresa de hotéis do mundo, e com enorme potencial de crescimento”.

A Marriott assumirá a dívida da Starwood e prevê obter as primeiras sinergias, excluindo os custos da operação, no segundo ano depois de completar a fusão. A rede compradora espera ainda economizar pelo menos US$200 milhões a partir de meados de 2018, graças as sinergias operacionais e estratégia de ativos.

Depois da fusão, o conselho de administração da companhia passará de 11 para 14 conselheiros. Isso porque três membros da Starwood farão parte do grupo. Arne Sorenson continuará como conselheiro após a fusão e a sede da companhia permanecerá em Bethesda, em Maryland.

 

Fonte: Hosteltur.com.br

Hoteleiros afirmam que gestão de reputação online é prioridade para 2016

As avaliações online de viajantes foram citadas por 93% dos hoteleiros entrevistados pelo TripAdvisor como o elemento mais importante para o futuro de seus negócios. O dado que faz com que não seja uma surpresa que a gestão da reputação online continue sendo a maior área de investimentos previstos para 2016: 59% dos entrevistados afirmam que irão investir mais neste segmento no próximo ano.

A grande maioria dos hoteleiros enxergam o aumento das reservas diretas (91%) como fator-chave para o futuro de seus negócios. Isso explica porque pouco menos da metade dos entrevistados planejam investir mais em marketing e publicidade (48%) e aquisição de tráfego (47%) em 2016.

No Brasil, os hoteleiros pretendem investir mais em gestão de reputação online (76%) e menos em reformas de grande escala (18%).

 

Fonte: HostelTur.com.br

Terrorismo, conflitos, distúrbios e enfermidades: as quatro pragas que freiam o turismo

Um de cada quatro turistas internacionais modificou seus planos de férias no útimo ano devido a preocupações relacionadas com a segurança ou a situação sanitária dos países que pretendiam visitar. O terrorismo é a razão principal dos cancelamentos de viagens. É o que aponta um estudo apresentado pela seguradora AIG Travel em colaboração com as empresas CMO Council, Travelzoo e GeoBranding Center.

O estudo se baseia em uma pesquisa online realizada com 2.017 consumidores da América do Norte (55%), Europa (39%) e restante do mundo (5%) durante o mês de outubro deste ano, antes dos atentados de 13 de novembro em Paris.

As principais alegações dos turistas para evitar viajar a determinados destinos são as seguintes:

– 83% atividade terrorista
– 49% conflitos militares
– 33% problemas políticos
– 31% surgimento de enfermidades

O ebola é a enfermidade que mais preocupa os turistas internacionais, tendo sido mencionada por 67% dos entrevistados.

Por outro lado, os destinos considerados mais seguros pelos turistas para desfrutar das férias, são aquelas localizados nas ilhas do Pacífico e também na Europa Ocidental.

Fonte: HostelTur.com.br

Belém, Salvador e Santos no ranking da Unesco

As cidades de Salvador, Belém e Santos foram escolhidas pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) para integrar a lista das 47 cidades criativas do mundo. A divulgação, realizada este mês, contempla 33 países. Belém foi reconhecida pela gastronomia, enquanto Salvador se destacou pela música e Santos pelo cinema.

*Da Agência de Notícias do MTur

“Essa premiação é mais uma prova de que o Brasil é um país diverso, com experiências únicas e ricas para o turista”, afirmou o ministro do Turismo, Henrique Alves.

A candidatura da capital paraense teve o apoio da prefeitura da cidade e contou com uma ajuda de peso do instituto Atá, do chef de cozinha Alex Atala, e do instituto Paulo Martins (que promove e divulga a gastronomia paraense e amazônica).  Coube aos institutos a realização de um trabalho de pesquisa sobre a culinária local. 

A gastronomia de Belém foi desenvolvida com forte influência indígena com seus pratos tradicionais como a maniçoba, o tacacá e o pato no tucupi. As delícias podem ser apreciadas na Estação das Docas, local às margens do rio Guamá que foi revitalizado e atrai diversos turistas brasileiros e do mundo.

“O grande charme da gastronomia é que ela não é só para a elite, é para o conjunto da sociedade. Todo mundo ganha com este reconhecimento da Unesco”, disse Zenaldo Coutinho, prefeito de Belém.

Salvador
A capital baiana recebeu o reconhecimento por sua produção musical.
As cantoras baianas de axé Claudia Leitte, Daniela Mercury e Ivete Sangalo movimentam o carnaval na capital e divulgam a música desse estado para o mundo. Salvador também é berço do bloco Olodum e da timbalada de Carlinhos Brown. Músicos baianos famosos mundialmente como Dorival Caymmi, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gal Costa e Gilberto Gil também começaram suas trajetórias de sucesso na cidade.

“Agora, a poucos dias do Réveillon e do Carnaval, eventos essencialmente musicais, nada melhor do que sermos contemplados com o título por uma entidade tão importante como a Unesco”, disse o prefeito ACM Neto.

Santos
Com dois cinemas públicos e 22 salas comerciais, o município da Baixada Santista foi reconhecido pela criatividade no cinema. Com o título, Santos passa a fazer parte da lista de oito cidades reconhecidas pelo seu desenvolvimento no setor e irá figurar ao lado de capitais como Roma, na Itália, e Sydney, na Austrália.

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, pretende implantar mais três salas públicas. Para ele, a conquista é um reconhecimento ao trabalho de artistas, produtores, diretores, empresários, professores, gente de todas as classes sociais que ajuda a fazer e oferecer cinema em Santos. “A certificação é como um Oscar para a Cidade de Santos, um prêmio que fica para a história”, destaca.

Além dos cinemas, Santos possui várias atrações. O bonde turístico foi restaurado e circula de terça a domingo. O transporte da década de 20 percorre 5 km e passa por vários locais históricos: Conjunto do Carmo, Pantheon dos Andradas, Correios, Paço Municipal e outros. Além dele, foi inaugurado no ano passado o Museu Pelé.

Premiação
O selo de Cidade Criativa da Unesco foi concedido a 47 cidades do mundo em sete categorias criativas: Artesanato e Arte Folclórica, Design, Cinema, Gastronomia, Literatura, Música e Tecnologia.

 

Fonte: Hosteltur

Crise política não afetará obras da Olimpíada, diz ministro do Esporte

A crise política gerada com o pedido de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff não vai atrapalhar o ritmo das obras dos Jogos Olímpicos do próximo ano, afirmou hoje (9) o ministro do Esporte, George Hilton, ao participar de evento sobre direito esportivo no Rio.

*Da Agência Brasil

 

Nós temos um cronograma. Ele está em dia. Nós temos cuidado com que ele seja cumprido. Temos dado toda atenção na questão do orçamento, para que não haja comprometimento. Os eventos testes acontecem dentro da normalidade, não há por que nos preocuparmos. O esporte é algo que integra, ele não desune, porque não há coloração partidária. Não há momento que inclua disputas políticas quando o assunto é a massificação da prática esportiva no país”, disse o ministro.

George Hilton ressaltou que não haverá falta de recursos e disse que o ritmo das obras para os jogos, que acontecem em agosto de 2016, está dentro do esperado: “O planejamento da Olimpíada é de muitos anos. Os recursos que garantiriam as obras, tanto na Barra quanto em Deodoro, estão mantidos e nós vamos entregar tudo ao seu tempo. Não haverá contingenciamento. O planejamento envolveu não só o governo federal, mas os governos estadual e municipal. A própria Rio 2016, hoje, nos dá, com parcerias e patrocinadores, a tranquilidade. Não há com que se preocupar, porque nós teremos obras exigências atendidas dentro do cronograma”.

 

Fonte: Hosteltur

Operação de fim de ano nos principais aeroportos do país começa dia 10

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha, anunciou hoje (2)  que a Operação Fim de Ano nos 15 principais aeroportos do país começa no próximo dia 10.  A expectativa é que até o dia 10 de janeiro pouco mais de 20,1 milhões de passageiros movimentem os terminais em viagens de Natal, Ano Novo e férias escolares.

*Da Agência Brasil

 

De acordo com o ministro, a previsão é de 30 dias de reforço para a alta demanda do período nos terminais de Guarulhos, Congonhas e Viracopos (SP), Galeão e Santos Dumont (RJ), Brasília (DF), Confins (MG), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Salvador (BA), Curitiba (PR), Manaus (AM), Fortaleza (CE), São Gonçalo do Amarante (RN) e Cuiabá (MT) que, juntos, representam 80% do fluxo de viajantes no país.

Representantes das companhias aéreas, operadores aeroportuários e entidades do setor se reuniram ontem (02) para acertar detalhes das operações de fim de ano.

Entre os compromissos assumidos pela Infraero estão a utilização de mais equipes de apoio e informação ao viajante, remanejamento de funcionários para turnos de maior movimento, medidas que garantam maior fluidez operacional nas atividades, ativação de planos de contingência de manutenção, equipamentos críticos, pista e pátio, além da implantação de sistema de acessibilidade (libras) nos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont.

As companhias aéreas se comprometeram a manter os níveis de reservas e de vendas alinhados à capacidade de aeronaves, rotas planejadas e prestação de serviço de rampa e capacidade da tripulação. Elas também admitiram reforço nas equipes de segurança, rampa e atendimento, tripulantes, suprimentos, operações e manutenção, bem como reserva total e parcial de aeronaves, aumento do nível de combustível das aeronaves, plano de contingências para eventual queda de sistemas do check-in e aviso especial de alteração de voos.

Entre as recomendações da secretaria, destacam-se a ocupação de todas as posições de check-in dos aeroportos, monitoramento de possíveis impactos de obras e manutenções correntes nos terminais, ampliação do horário de funcionamento de estabelecimentos de alimentação, geração de informação em tempo real para comunicação ao passageiro, manutenção de atrasos e cancelamentos em níveis abaixo de 15% nas operações dos principais aeroportos e acompanhamento da evolução do quadro meteorológico do país.

Segundo Eliseu Padilha, em 2015 o setor aéreo deve registrar saldo positivo de 1,3% em relação a 2014.

Acrescentou que, no acumulado do primeiro ao terceiro trimestre deste ano, o Brasil obteve a maior movimentação aeroportuária já registrada para o período, com 163,28 milhões de passageiros, volume 2,3% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, “superando sensivelmente a demanda levantada em ano de Copa do Mundo”.

A expectativa é que a movimentação do quarto trimestre feche com um crescimento de 0,45%, na comparação com o mesmo período de 2014. Os meses de agosto, setembro e outubro deste ano apresentaram quedas respectivas de 1,69%, 1,42% e 7,13%.

O aeroporto com melhor desempenho em 2015 foi o de Brasília, com crescimento acumulado, entre janeiro e outubro, de 8,23%. Conforme a secretaria, o resultado se deve ao fato de o aeroporto ter se tornado um ponto central de conexões domésticas.

 

Fonte: Hosteltur

Gastos de brasileiros no exterior caem pela metade

Com o câmbio favorável ao turismo doméstico, o valor desembolsado por brasileiros fora do país em outubro deste ano caiu pela metade se comparado ao mesmo período do ano anterior. De acordo com os dados do Banco Central, os gastos, que em outubro de 2014 chegaram a US$ 2,1 bilhões, este ano foi de US$ 1 bilhão, uma queda de 52,7%.

*Da Agência de Notícias do MTur

 

“Estamos vivendo um momento oportuno para o setor produtivo do turismo doméstico. É a hora de captar esta parcela do mercado consumidor acostumada a viajar pelo mundo”, comentou o ministro do Turismo, Henrique Alves.

No acumulado do ano, o recuo também é verificado. De janeiro a outubro de 2015, os brasileiros deixaram US$ 15,1 bilhões em destinos internacionais. Em 2014, o montante foi de US$ 21,7 bilhões. “Estamos falando de US$ 6,6 bilhões, o equivalente a mais de R$ 24 bilhões que não foram gastos no exterior de janeiro a outubro e, se não todo o montante, por conta do cenário econômico adverso, uma parcela significativa poderia movimentar a economia nacional”, reforçou Henrique Alves.

Com o recuo nas despesas, a balança comercial do turismo no Brasil registrou um déficit de US$ 10,35 bi, o menor nos últimos cinco anos. São US$ 5,5 bi a menos que o déficit acumulado nos dez primeiros meses de 2014 (US$ 15,86 bi). Desde 2003, os únicos anos em que a balança comercial do turismo ficou superavitária foram 2003 e 2004, quando o dólar oscilou em média em R$ 3.

 

Fonte: Hosteltur

Atentados terroristas não mudaram a segurança da Olimpíada 2016, diz APO

O presidente em exercício da Autoridade Pública Olímpica (APO), Marcelo Pedroso, disse que os atentados ocorridos em diversos países nos últimos dias não alteraram o esquema de segurança para os Jogos Olímpicos de 2016. Ele informou que a questão do terrorismo já fazia parte do planejamento porque é uma variável constante neste tipo de competição, que tem um histórico de casos de atentados.

O terrorismo neste planejamento tem que ser visto de forma ampliada, disse ele, salientando que todo o planejamento “já incorporou a necessidade de garantir jogos seguros e pacíficos, já incorporou a visão mais ampliada das melhores e mais modernas medidas de combate e prevenção ao terrorismo, principalmente, usando ferramentas de inteligência para identificar potenciais ameaças”.

Para Marcelo Pedroso, a decisão do governo de suspender a exigência de vistos para turistas que vierem ao Brasil para os jogos durante junho e setembro não vai forçar uma mudança no planejamento, mas pode ser vista pelo lado econômico. “Pode ser vista muito mais pelo lado de incremento que ela dá de visitantes de países com potencial de participação em jogos olímpicos. Então, no balanço desta medida ela é por um lado um potencializador econômico para a realização dos jogos e, por outro, não representa nenhum tipo de ameaça ao planejamento de segurança”, acrescentou.

Pedroso lembrou que quando existe uma ameaça concreta como foram os atentados de Paris, é natural que os países elevem o seu grau de segurança. “Para nós o fato ocorrido faz com que o Brasil também tenha que manter as suas forças em prontidão operacional para garantir que nenhuma situação como esta ocorra durante os jogos”, completou.

A APO apresentou hoje (25) no Rio, um balanço das ações realizadas em 2015 e as perspectivas de 2016. O presidente adiantou que já está concluída a maior porção da matriz de responsabilidades dos Jogos, que indica os valores e os prazos para o cumprimento dos projetos olímpicos. “Por já ter 90% dos seus projetos contratados e em execução a gente considera a matriz em um processo de encerramento para a realização dos jogos”, apontou.

De acordo com ele, a questão da segurança está sendo discutida pelos representantes dos três níveis de governo porque nem todos os investimentos se caracterizam como exclusivos para os jogos e por isso não deveriam necessariamente estar na matriz. “A gente tem uma parcela de investimentos que são antecipação ou ampliação de política pública. Então a discussão com os entes é conceitualmente, qual é a parcela que é exclusiva dos jogos e que deve entrar na matriz”, esclareceu.

A próxima versão da matriz será divulgada no início do ano que vem. No meio do ano, segundo o presidente, será apresentada mais uma e a última deve ficar para o início de 2017, com a análise dos resultados após a conclusão dos jogos.

 

Fonte: Hosteltur

França oferece apoio na segurança da Olimpíada de 2016

Em visita ao Brasil, o ministro de Assuntos Exteriores e do Desenvolvimento Internacional da França, Laurent Fabius, ofereceu apoio a presidente Dilma Rousseff para garantir a segurança e evitar ataques terroristas na Olimpíada de 2016. O ministro disse em coletiva de imprensa na tarde do domingo (22) que a França colocou-se à disposição do Brasil tanto para transmitir os resultados das ações que estão sendo tomadas no país quanto com o próprio serviço de inteligência, para reduzir o risco de ataques no Brasil durante o evento.

*Da Agência Brasil

 

“O que aconteceu em Paris, infelizmente poderia acontecer em vários países do mundo, uma vez que [os grupos terroristas] estão organizados internacionalmente”, observou Fabius. “Disse a Dilma Rousseff que estamos à sua disposição“, acrescentou.

Para o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, a ajuda é muito bem-vinda.

Fabius, visita o Brasil para tratar da 21ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP 21), que reunirá representantes de 195 países, de 30 de novembro a 11 de dezembro, em Paris. Na manhã de ontem reuniu-se com a presidente Dilma Rousseff,  os ministros Mauro Vieira e Izabella Teixeira, do Meio Ambiente. Segundo Fabius, a questão da segurança foi mencionada na conversa. O ministro francês já visitou a Índia e a África do Sul.

O principal objetivo da COP 21 é preparar um novo acordo entre os países para diminuir a emissão de gases do efeito estufa, diminuindo o aquecimento global. A intenção é limitar o aumento da temperatura em 2º Celsius até 2100. Segundo Izabella, o Brasil compromete-se com a redução. O compromisso brasileiro foi classificado como ambicioso pelo chanceler francês.

Apesar dos ataques terroristas do último dia 13 em Paris, o evento será mantido. Segundo Fabius,  manter a COP 21 foi “decisão indispensável, porque era incompreensível cedermos frente ao terrorismo”. Ele ressaltou a importância do tema, uma vez que as mudanças climáticas afetam a todo o mundo. A segurança será reforçada e as delegações protegidas. O governo também proibiu as manifestações pela dificuldade em garantir 100% da segurança das pessoas em ambiente externo.

Desastre em Mariana
Assim como o governo brasileiro solidarizou-se com o francês pelos ataques terroristas sofridos no último dia 13, que resultou em mais de 120 mortes, o governo francês ficou sensibilizado com o desastre ambiental causado pelo rompimento da barragem em Mariana (MG) no dia 5. “Estamos solidários a vocês pela catástrofe que houve em Mariana. Sei que teve várias consequências e foi sentido de forma dolorosa, não só aqui, como na França. Estamos junto com vocês para qualquer circunstância“.

Na coletiva de imprensa a ministra do Meio Ambiente reforçou o compromisso do governo brasileiro em reverter o desastre ambiental. “Será um trabalho de longo prazo, mas nós devolveremos aos brasileiros a Bacia do Rio Doce recuperada e talvez em melhores condições do que ela está hoje”.

O rompimento da barragem de rejeitos da Samarco, que tem como acionistas a Vale e a BHP Billiton, criou uma onda de lama que destruiu o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana. A lama atingiu outros municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo e chegou ao Rio Doce,causando a morte de animais e prejudicando o abastecimento de água. Mais de dez pessoas morreram.

Izabella disse que o impacto está sendo avaliado uma vez que o desastre ainda está em curso. Mais multas poderão ser aplicadas à empresa, e grupos de trabalho avaliam mudanças nas normas e na legislação.

 

Fonte: Hosteltur

Aeroporto do Rio recebe teste de fluxo de armas e munições para Jogos Olímpicos

O teste verificou o atendimento a padrões definidos entre o governo federal, autoridades aeroportuárias e demais membros do Comitê Técnico de Operações Especiais (CTOE), órgão criado no âmbito da Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero).

Grande parte das armas utilizadas em modalidades de tiro esportivo olímpico, como carabinas, pistolas e tiro ao prato, passará pelo Galeão. Elas serão usadas por cerca de 390 atletas olímpicos durante nove dias de competição e 150 atletas paralímpicos em sete dias de competição.

Além do fluxo de armas e munições nos aeroportos durante os Jogos Olímpicos, o Manual de Planejamento para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 definiu como fluxos especiais as chegadas e saídas de cavalos que participam de competições olímpicas e o fluxo de cães-guia, que devem ser embarcados gratuitamente ao lado do dono.

De acordo com a Secretaria de Aviação, está prevista a participação de 314 cavalos internacionais e mais 90 cavalos nacionais nos Jogos Olímpicos. Isso significa de 20 a 22 voos no aeroporto com transporte destes animais.

Segundo o coordenador do CTOE, Thiago Meirelles, o gerenciamento estratégico da infraestrutura aeroportuária impede imprevistos e atrasos que podem impactar a operação de rotina dos terminais, gerando efeitos como atrasos em cascata e obstrução de áreas importantes do aeroporto.

“Há um grande volume de passageiros, bagagens e cargas que precisa atender a critérios de tempo, espaço e etapas dentro do aeroporto. No caso do simulado de hoje [ontem], vamos colocar em prática um fluxo menos utilizado dentro dos terminais, mas não por isso menos relevante, que envolve equipamentos com exigência de tratamento, inspeções e verificações de alta segurança.”

Meirelles afirmou que o simulado é “importantíssimo” para o planejamento da Olimpíada, porque os agentes envolvidos podem testar os fluxos previstos anteriormente no manual. “Já existe um fluxo especial previsto para os aeroportos. O simulado é o momento para podermos testar o fluxo e tirarmos lições em relação ao teste, de modo que possamos eventualmente aprimorar para o período dos Jogos.

 

Fonte: www.hosteltur.com.br